NOTÍCIAS - Consequências da Apneia do Sono

Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) é uma parada respiratória provocada pelo colamento das paredes da faringe. O distúrbio ocorre principalmente enquanto a pessoa está dormindo e roncando. Para ser mais exato, durante as crises, a pessoa para de respirar por causa do bloqueio da passagem de ar pela faringe.

A repetição dos episódios de apneia tem como consequência a menor oxigenação do sangue, o que pode redundar em danos ao organismo.
Diversos estudos mostram que a incidência de infartos do miocárdio, derrames cerebrais e arritmias cardíacas estão associados aos portadores da síndrome da Apneia do Sono.

As consequências da Apneia do Sono vão muito além das noites mal dormidas e inconveniências com os parceiros de quarto.  No adulto, as principais características do distúrbio são: 1) suspensão da respiração por 10 segundos em cinco ou mais episódios por hora de sono, 2) redução dos níveis de oxigênio no sangue. Nas crianças, bastam 2 ou 3 segundos de parada respiratória para o sangue dar sinais de falta de oxigênio.

A enfermidade pode causar ou agravar quadros de doenças cardiovasculares, com hipertensão arterial sistêmicas, arritmias, infartos e insuficiência cardíaca congestiva. Muitas vezes, o tratamento da apneia é suficiente para redução e controle da pressão arterial. Hipertensão Arterial é encontrada em 70% a 90% dos que sofrem de Apneia do Sono. Ao contrário, 30% a 35% dos pacientes que apresentam Hipertensão Arterial são também portadores de apneia do sono.

© Todos os direitos reservados | 2021 REGAL HOSPITALAR | Site Desenvolvido por MPS MARKETING DIGITAL